sábado, 1 de maio de 2010

Declaraçoes de rendas no QC

Aqui todos tem que fazer duas declaraçoes de impostos (a provincial e a federal) independente de sua renda no ano. No Brasil, eu sempre fazia a minha sem problemas, este ano inclusive eu enviei logo no começo do período. Agora tenho que me ocupar com a declaraçao de saída definitiva do Brasil, para nao ter mais o trabalho de ter que fazer uma declaraçao todo ano no Brasil.
No Canadá, se tinha algo que eu nao queria ter trabalho para fazer eram as declaraçoes de impostos daqui. Procurávamos um meio prático (contratando alguém pra fazer) e barato tb, já que vimos gente que cobrava de 20$ à 200$. Pode-se tb comprar o programinha e fazer a sua própria declaraçao em casa, mas como eu disse, nós estávamos a procura de um profissional e assim nao teriamos trabalho e nem dor de cabeça com o que se preocupar. No final das contas, tivemos um pouquinho de estresse com isso e só efetuamos o trabalho com uma terceira pessoa que procuramos.

1) Recebemos um panfleto aqui na caixa de correios de um contador oferecendo seus serviços, que mora no prédio ao lado do nosso. Preço para casal : 75$. Pensamos, preço bom, perto de casa e o cara é profissional, vamos fazer com ele. Marcamos o rendez-vous e levamos as papeladas com o que já tinhamos nos informado do que seria preciso (comprovantes de renda, comprovantes de recebimento de bolsas de estudos, notas fiscais da compra dos passes mensais de ônibus, ...). Fomos bem recebidos por um senhor que usava anel de contador e aparentemente era aposentado e que eu acho q este tipo de trabalho agora pra ele é um hobby nesta época do ano. O senhorzinho nao conseguia entender direito o nosso francês com sotaque e ainda tinha uma deficiência auditiva. Percebi isso logo de cara quando ele falava com o Rogério. Como eu estava ao lado dele, repetia as frases mais alto e mais devagar pra ele entender... Seria trágico se nao fosse cômico. hihihi.  Até entao tudo bem, se nao fosse o fato de ter ficado visível que apesar de toda a experiência que ele com certeza deve ter como contador, nao tinha nenhuma experiência em fazer declaraçoes de imigrantes. Mas nao tínhamos como falar, olha me devolve tudo aqui pq o senhor nao sabe de nada e vou procurar outra pessoa. Deixamos os nossos documentos lá na casa dele e ficamos de retornar com uma declaraçao de renda do Rogério que ele esqueceu de levar. Saímos de lá pensando « Q m..! E agora? » Mas tentei confortar a mim e  o Rogério pensando o seguinte «ele é profissional, é ele que vai assinar se algo der é errado é ele que será prejudicado, e tb acredito que ele nao sabe fazer mas vai se informar como... » Enquanto isso, fiquei a semana tentando achar uma desculpa plausível e delicada para nao fazer a declaraçao com aquele senhor, até o dia que resolvi ligar e avisar que o Rogério ia lá levar o documento que faltava. Entao, o senhorzinho, me pediu desculpas, disse que nao sabia fazer a nossa declaraçao e que nós deveríamos procurar uma pessoa que sabia fazer declaraçao de imigrantes. Ufa! Meu Deus, muito obrigada! Nao precisamos dizer nada, pegamos os doc's ele se desculpou e nós agradecemos a sua atençao. Tudo em paz.

2) Fomos à um escritório da H&R Block, no shopping Laurier. Nao recomendo! De todas as pessoas que conheci até agora que foram lá, apenas um casal nao teve problemas ou nao tem do que reclamarem.
Resumindo : quase 1 hora pra preencher os formulários e alguns problemas com informaçoes do meu formulário que o computador avisava que tinha alguma coisa errada. (Hum.. n°1). Perguntou se pagávamos plano de saúde privado, dissemos que sim, um serviço contratado do Brasil no ano passado. Perguntou se tínhamos os comprovantes e o Rogério disse que sim, mas tinha deixado em casa. Entao ele falou que iria colocar lá e se desse algum problema poderíamos resolver depois (Hum.. n°2). Enfim, ele nos explicou a declaraçao. Perguntei se teria uma cópia de tudo ele disse que só do resumo.(Hum.. n°3). O valor inicial do serviço seria de 90$ para o casal, depois de 1 hora de atendimento o carinha falou que nao considerava a gente como estudante e que teria que cobrar 75$ para cada um mais taxas. Como assim, nao éramos estudantes? (Hum.. n°4)  Comecei com os meus primeiros questionamentos, mas o Roger estava preocupado com o prazo e decidiu aceitar, mas eu ainda nao tinha engolido aquela bem conhecida fala de 171. O carinha falou para a gente efetutar o pagamento do serviço no caixa enquanto ele fazia as impressoes, já q a primeira declaraçao aqui deve ser obrigatoriamente enviada por correio. Saímos da salinha, o Rogério foi pagar o serviço em débito automático.  Voltamos para a salinha. «Temos um problema com a declaraçao da Madame, tive que mudar alguns valores aqui pra ficar correto» (Hum?! n°5). Após alguns segundos de reflexao pensei : se estivesse no Brasil e fosse atendida por alguém assim, ainda por cima com um serviço que nao me dá confiança eu aceitaria? Nao!!!! Entao, porque que vou aceitar aqui? Só pq sou imigrante e pq ele é canadense? Nao!!! «O Senhor me desculpe, mas eu quero cancelar tudo!» O carinha olhou pra mim e achou q eu nao ia até o fim com essa frase. Tentou me convencer, me intimidar e até me ironizar por causa disso. A partir daí eu já tinha mais do que decidido cancelar o serviço, principalmente pelas atitudes deles. Ele olhava para o Rogério tentando explicar os ítens da planilha e disse ainda «a sua esposa nao está interessada que eu explique eu acho que ela nao está entendo...».  Me viro pra ele e completo «e o senhor entendeu quando eu disse que eu quero cancelar?», «sim, mas vc deveria ter me dito isso mais cedo.»,  «sim, mas vc tb deveria ter me dito mais cedo o preço do serviço e ao menos o valor correto das declaraçoes e restituiçoes.» Ele ficou visivelmente nervoso e eu visivilmente irritada. O Rogério começou a conversar comigo em português, quando terminamos ele olhou pra gente e perguntou tipo e aí? Fiquei mais puta ainda! E aí o q?! A sensaçao que tive foi que ele achou q eu era o impassae da situaçao ali e que o Rogério estava tentando me convencer a aceitar. «sim, terminamos nossa conversa e estamos esperando o senhor anular o pagamento e me devolver os documentos.» Gente, se tem uma coisa que nao admito é ser desrespeitada, nao aceitava isso nem no Brasil, e continuo nao aceito em lugar nenhum nem aqui no Canadá. De fato, ele nao era um bom profissional pq se fosse, teria sido ao menos gentil e educado o que faria com que eu pagasse o valor que fosse pelo trabalho deles, apesar de meus receios.
Entao, ele ainda tentou fazer algumas pressoes psicológicas com a gente, eu tentando me manter calma depois de ter discutido com ele dentro do escritório.
Chamou o gerente que disse, que nao tinha como cancelar o pagamento que foi por meio eletrônico, mas que se desse algum problema a empresa seria a responsável. Perguntei se ele tinha alguma sugestao do que deveríamos fazer. Ele disse que éramos para assinar as declaraçoes, postar no correio e ir pra casa. hahaha Q idiota! Gente, fala sério, será que ele acha que no Brasil só existe a floresta amazônica e que eu era uma índia branca mumificada desde a época da colonizaçao?!! «Entao o senhor está me dizendo que nao pode cancelar o pagamento? Eu conheço muito bem essas maquininhas e o sistema e sei q isso é possível.» (Mentira, nao conheço nada. Mas sei que é possível!). «Nao, madame, só lhe digo que nao posso te devolver o dinheiro agora pq temos que efetuar o cancelamento do pagamento com a operadora» Haaaaaa..... Ok. Aceito receber o dinheiro depois e receber meus doc's agora. E de fato recebi alguns dias depois mesmo em cheque, pelo correio. Bem, saí de lá p da vida e obviamente depois desabei a chorar. O Rogério foi trabalhar e eu fui desabafar (falar pelos cotovelos) com um amigo que trabalha num café no mesmo shopping. Nessas horas os amigos aqui sao importantes mesmo, ele foi nao só ouvidos como me indicou uma terceira pessoa com quem ele fez.

3) Cobrou 25$ o casal, vinha em casa, mas nao assinava as declaraçoes, ou seja, nao se responsabilizava. No primeiro rendez-vous ele nos deu um bolo, mas como eu estava em semana de provas e com menos de 1 semana pra resolver isso ligamos de novo. Entao, ele se justificou pela ausência e apareceu aqui em casa no dia seguinte. Levou 15 minutos! Com perguntas, pedidos e conferências de doc's. Ficou de retornar em 2 dias com os formulários preenchidos. Voltou! Super organizado e muito profissional, embora nao fosse contador. Com os papéis todos separados, nos deu uma cópia completa de todas as declaraçoes e me explicou os ítens principais. Contei brevemente minha saga para ele sobre a H&R Block, o québécois disse, «nao ... eles sobrecarregam demais as pessoas com preços às vezes abusivos...».

Enfim, no ano que vem farei eu mesmo as declaraçoes ou em último caso irei procurar este úlltimo carinha.

Bom, ainda bem que ainda acredito que no final tudo sempre dá certo mesmo! hehehe

2 comentários:

Taty disse...

meu, que saga hein....

eu sempre paguei contador aqui no brasil... não tenho saco pra estudar como devo fazer... imagina ia....

pelo menos achou esse ultimo...

beijos

andressa disse...

Arrasou, Giselle!!!

Eu tb O-D-E-I-O ser desrespeitada, principalmente qdo estou pagando por um serviço!

Faço barraco mesmo e meu noivo fica morrendo de vergonha!

Agora: vc, "índia"??? hahahahahhaha

Imaginei a cena!

Dou o maior apoio! Não é pq vcs são imigrantes que vão ter que se sujeitar aos abusos! 171 tem em todo lugar!

Bjks