sábado, 30 de janeiro de 2010

Cursos de Francês em Ville de Québec

Desde que chegamos aqui nao abrimos mao de continuar estudando francês, então fomos em busca dos diversos cursos oferecidos. Eis as minhas escolhas e impressões por onde andei.

FEL - Fransisation En Ligne
A partir do momento que vc recebe o CSQ tem direito a fazer este curso pela internet, oferecido pelo governo do Québec, entao comecei este curso ainda no Brasil como já falei em outros post. Antes de chegar ao Québec eu tinha terminado o bloco 1 e desejava continuar e como a cada mudança de bloco você muda de professor, avisei a data que iria para o Canadá e que ficaria pelo menos 1 mês sem ter como fazer as aulas. Ela disse que não teria problemas que iria fechar meu dossiê e que depois de 30 dias eu receberia um e-mail com a reabertura e assim aconteceu. O Rogério já tinha sido cortado do curso desde quando ainda estávamos no Brasil rsrsrs, porque ficou mais de 10 dias sem acessar o sistema. Apesar dele ter gostado, não conseguiu seguir a metodologia de ensino pela internet. Realmente é difícil entrar na internet pra estudar...rsrsrs.
Quando se chega no Québec e se faz a inscrição ao curso de francisação do governo a tempo parcial (que não recebe bolsa) ou a tempo integral (que recebe bolsa), a gente é automaticamente cortado da francisação online assim que começa as aulas no curso presencial; ou seja, enquanto você aguarda ser chamado pode continuar no FEL, mas logo assim que sua inscriçao na aula presencial é confirmada o MICC envia um e-mail cancelando seu acesso ao sistema e justificando o motivo. Foi que aconteceu comigo.

CAFI - Centre d'auto apprentissage du français pour immigrants.
Um serviço gratuito de auto-aprendisagem de francês oferecido aos imigrantes. Acontece no Cégep de Sainte-Foy e o funcionamento é de segunda a sexta-feira de 16h às 21hs e no sábado de 8h às 12hs. Este é o curso que você pode conciliar com qualquer outro. O chato é que não tem conversação, mas a vantagem é que o planejamento de estudo é feito de acorco com a necessidade de cada aluno. Por exemplo, se quizer estudar mais fonética, verbos, vocabulários, gramática, compreensão oral, expressão escrita, ou seja lá o que for, você terá a oportunidade de ter um programa individualizado de estudo. Tem sempre um professor disponível na sala, que pode tirar suas dúvidas e que vai te direcionar. Cada aluno estuda individualmente com recursos de programas, sites de computador, vídeos e audios. A inscrição é sem burocracia, você chega lá, preenche uma ficha, faz um teste para o professor avaliar o seu nível e logo um dossiê seu é aberto.
Chegamos a frequentar o CAFI por duas semanas, mas acabamos não indo mais desde que iniciamos outros cursos. Minha vontade era de ir lá pelo menos 2 x por semana, mas na luta com a preguiça eu sempre perco, ainda mais nesse frio.

Le Mieux-Être des Immigrants
Para além do curso de francês o Mieux-Être é um espaço bem interessante. São oferecidos diversos serviços como dépannage alimentaire (1x por semana), friperie, serviços psicossociais, serviços de suporte à adaptação escolar para crianças de 5 à 11 anos e outros serviços e atividades sócio-culturais, há inclusive um suporte específico para mulheres imigrantes com idade a partir de 50 anos.
O Mieux-Être é um organismo social que tb fornece curso de francês gratuito aos imigrantes, que na verdade é custeado pelo MICC. Este curso se trata da francisação a tempo parcial, ou seja, que não é o dia inteiro e que você não recebe ajuda de custo, já que pelo horário ele te dá mais possibilidades de trabalhar. Inscrito nele também se tem direito ao passe de estudante, onde se paga um valor mensal de 48 dólares, com quant. de viagens ilimitadas, inclusive nos fins de semana.
O curso de francês é dividido em turmas para básico, intermediário e avançado, com duração de 11 semanas cada nível, de segunda à quinta-feira, 3hs por dia. O material é gratuito e é o mesmo utilizado na francisação a tempo integral. Os professores são excelentes, alguns inclusive sao os mesmos que fazem o teste para avaliação de nível para a francisação a tempo integral. Assim que chegamos fomos lá fazer nossa inscrição, como não tinha vaga para a turma de intermediário para mim pedi para ficar no débutant II, porém, depois de 2 semanas acabei saindo do curso porque apesar de rever algumas coisas e sempre aprender outras novas, comecei a sentir que estava perdendo tempo. Não achei o curso ruim ou fraco, a questão era que eu estava na turma errada e eu já entrei sabendo disso. O Rogério decidiu continuar e concluiu em dezembro o débutant I, que lhe deu base suficiente para ele começar outro curso no nível intermediário.
- L'adresse: 2120, rue Boivin Local, apt 204, Ste-Foy
- Nos heures d’ouverture: du lundi au vendredi, de 9h à 17h
- Tél.: 418 527-0177
- Courriel:
m.e.i@bellnet.ca

Centre du Phénix
Desde que estava no Brasil já tinha pesquisado sobre este curso que tem excelente reputação. Fomos lá fazer a inscrição, a secretária marcou um rendez-vous para cerca de 3 semanas depois para que pudessemos efetuar a inscrição, na outra semana agendariam para que fizesse o teste de avaliação de nível e depois de 2 semanas do teste foi que finalmente pude começar a frequentar as aulas. Com toda esta demora para o 1º rendez-vous o Rogério acabou desistindo do Phénix no ano passado e decidiu mesmo continuar no curso do Mieux-Être, no entanto, agora em janeiro ele começou no Phenix no nível intermediário, e vai ficar lá até o inicio da francisaçao do MICC a tempo integral.
O curso de francês do Phenix é do Ministério da Educação, então você não recebe nenhuma bolsa do ministério de imigração para fazê-lo, ao contrário, tem que pagá-lo. No entanto, como o visto de residente permanente ou o de trabalho o valor pago é insignificativo se comparado ao que o curso proporciona e aos cursos pagos no Brasil. Taxa única de 45 dólares por sessão (de outono, de inverno,...) + cerca de 45 dólares de material escolar, como eu já tinha o livro que eles pediram só paguei 5$ de fotocópias. Carga horária de 20 horas de aula por semana, de 8:10 às 12:45. Tem outras opçoes de horário (com mais ou menos hs), mas 20hs a meu ver é o ideal, por não ser muito longo e pelas atividades serem bem distribuidas neste período. O que eu gostava muito por exemplo, era que vc tem um tempo de aula para estudo individualizado, ou seja, para quem não tinha tempo ou saco de estudar em casa vc lá tinha 1 hora de aula por dia diponível para isso e com o suporte do professor. Além disso, você é avaliado cotidianamente, então, conforme vai avançando nos estudos vai fazendo as provas e mudando de classe. O curso é realmente excelente! Funciona dentro de uma comissão escolar, tipo supletivo durante o dia. Tem diversos níveis de turma, inclusive para quem já está no nível bem avançado da língua. O que mais me atraía no curso era a metodologia de ensino, mas nas últimas semanas andei um pouco desanimada com o ritmo de ensino de um dos professores (que estava lento e sem combranças e provas...rsrsrs..com isso eu acabava lenta tb e nao estudando nada...rsrsrs). Saí de lá porque fui chamada para a francisação a tempo integral e como no Phenix vc pode estudar a qualquer momento, priorizei a francisaçao do MICC.
Site: http://phenix.csdecou.qc.ca/fr/services_denseignement/francisation/

Francisation do MICC a tempo integral
Por conta da longa carga horária, esta francisaçao nao fazia parte dos meus planos quando eu ainda estava no Brasil, mas mesmo assim fiz minha inscricao quando cheguei aqui e após ter feito o teste de nível, aguardava ser convocada para o início de uma nova turma para entao decidir se faria ou nao. Durante esse tempo de espera avaliamos que fazer a francisaçao seria algo bem interessante, devido ao conteúdo do curso, pela bolsa (nao somos hipócritas...rsrsrs) e tb pelo fato de qualquer outro curso poder ser feito antes ou depois da francisaçao.
Aqui em Ville de Québec o curso acontece no Cegég de Sainte-Foy e na Université Laval, nos dois lugares o conteúdo é o mesmo e os professores sao todos contratados pelo MICC. O curso é dividido em 3 módulos (1-iniciante, 2-intermediário, 3-avançado) e mais o último que é de francês escrito, que é opcional. O horário é de 8:30 às 15:05, 4x na semana e um dia de 8:30 às 12:15. A bolsa é de 115$ por semana.
Entao, eu aguardava pacientemente minha convocaçao para uma turma de nivel 3, de acordo com a lista de espera. Até o momento que fiquei sabendo de mais de uma pessoa que fez o teste para a francisação depois de mim e foram classificadas no mesmo nível que eu e que já tinham sido chamadas para iniciar o curso em dezembro, enquanto que eu aguardava, aguardava e aguardava e NADA! Obviamente fui questionar o que estava acontecendo. Enfim, resumindo, após diversos e-mails e telefonemas meus e algumas desculpas esfarrapadas deles, consegui fazer com que me encaixassem em numa vaga de desistência. Entao, comecei o curso no meio da primeira semana de aula que foi em dezembro. Por isso meus amigos, fiquem atentos, pq aqui tb quem nao chora nao mama!!! rsrsrs.
Para a minha surpresa o curso nao foi o que eu esperava, aliás foi pior do que eu poderia imaginar. Primeiro dia de aula: reconhecimento do ambiente e algumas surpresas. Segundo dia: susto! Terceira semana: pânico total!!! Explicando melhor. Esta turma foi formada às pressas, fora do calendário habitual porque tinha muitos imigrantes esperando, entao contrataram de última hora uma professora e uma monitora. Ambas nao tinham experiência para dar aula e conheciam pouco o conteúdo do curso, mas a monitora acabou de se formar e apesar dos pesares é uma boa professora, tem didática. Enquanto que a professora do turno da manha (de gramática), socorro!!!! A mulher era tradutora e nao tinha nenhum perfil, habilidade e nem conhecimento para dar aula!!!! Tô falando sério!!! Só quem esteve naquela sala de aula tem noçao do que acontecia. Cada dia uma pérola dela, um ensinamento errado, que se eu fosse exemplificar aqui este post iria ter uns 3 capítulos. A turma, pra azar dela, foi a melhor turma de francês que eu já estive presente até o momento, pessoas com excelente nível de conhecimento da língua, aprendíamos mais um ensinando ao outro ou ensinando a professora. hihihi. Tinha até uma piadinha que entramos lá no nível 3 e sairíamos no nivel 0. A aula era um caos total!!! No final das contas, como alguns outros alunos, saí fora!!! Nao tinha tempo a perder... se era para aprender sozinha nao iria ficar dentro de uma sala de aula durante 6hs por dia! Hoje vejo algum movimento de pelo menos alguns alunos para nao permitirem que essa mulher continue dando aulas na francisaçao. Como a Caia falava, acho até que o curso deveria mesmo ser dado de novo para esse pessoal.
Vejam bem, nao estou aqui desmotivando ninguém a fazer a francisaçao. O que aconteceu com essa turma nao é algo que ocorre habitualmente. A maioria de nossos amigos e conhecidos que fizeram ou fazem a francisaçao gostam muito e os que concluiram se saíram muito bem no TFI (Teste de Francês Internacional), por isso acho que vale muito a pena fazer. O Rogério recebeu a cartinha de convocaçao e começará em fevereiro.
Algumas coisas que desmistifiquei aqui.
- Que a francisaçao é uma droga - Nao concordo. O conteúdo do curso é muito bom e nao engloba só o conhecimento de gramática, mas também sobre cultura, história do Québec e expressoes québécoises. A meu ver, isso é bem interessante e dificilmente vc encontrará em outros cursos aqui.
- O curso é fraco. Depende. Acontece que às vezes se leva muito tempo para ser chamado e quando vc começa as aulas é claro que já nao estará mais no mesmo nível de quando fez a avaliaçao. Por exemplo, em setembro do ano passado o Rogério foi avaliado no nível básico, obviamente que em fevereiro deste ano ele nao é mais nível básico, já que desde que chegou tem estudado e vivido em francês. Mas parece que isso é algo negociável e avaliado na primeira semana de aula. Entao ele vai solicitar para ir pro nível intermediário dizendo inclusive que fez a francisaçao a tempo parcial do nível básico e que recentemente foi avaliado em nível intermediário pela escola (Centre du Phenix). Se rolar a mudança ótimo, senao, ele disse que mesmo assim fará a francisaçao desde o começo.
- Nao pode trabalhar!!! (errado) - Pode trabalhar sim ao mesmo tempo que faz a francisaçao e sua bolsa nao é cortada ou reduzida. A maioria do pessoal da minha turma trabalhava depois do curso e/ou nos fins de semana, inclusive eu trabalhei todo o mês de dezembro.
- Se faltar um dia na semana perde todo o valor da bolsa daquela semana (115$) (errado) - Se vc falta um dia, será descontado apenas aquele dia (23$).
- Vc pode fazer a francisaçao depois, mesmo após ter abandonado. Após minha saída do curso recebi uma carta confirmando o meu abandono e ao mesmo tempo informando que caso eu deseje retornar é só entrar em contato com eles. Francisaçao é um direito do imigrante.

Français Langue Étrangère et Seconde (FLE é FLS)
Na Université Laval tem o curso de Francês Língua Segunda que dura mais de uma sessão e no final te dá direito a um Certficado. Este curso é para quem já tem um nível avançado da língua e deseja se aprofundar. Também quando ainda estava no Brasil cheguei a pesquisar sobre cursos de línguas na universidade, mas nao queria um que fosse tao longo como o FLS (Francês Língua Segunda), entao enviei um e-mail para a ULaval na época e fui informada sobre o curso de FLE (Francês Lingua Estrangeira), que acontece na sessao de outono e inverno (duração de 15 semanas) e na de verao (5 semanas). Como chegamos em plena sessão de outono, só me restaria me inscrever para a de inverno, entao em novembro do ano passado fui lá pessoalmente e fiz minha inscriçao. Pensei em cancelar minha isncriçao quando fui chamada para a francisaçao integral, mas ainda bem que nao fiz isso, por tudo o que já escrevi acima.
Para a sessao de outono e inverno, este curso tem turmas com 4 níveis diferentes: élémentaire, intermédiaire 1, intermédiaire 2, intermédiaire-avancé. Para saber o seu nível, após a inscriçao eles te enviam um link para que vc possa fazer o teste online, que é divido em 3 partes: gramática, fonética e vocabulário, com tempo cronometrado para cada teste. Eu só fiquei sabendo do meu nível na primeira semana de aula, quando eles entregaram a grade de horário com as disciplinas. Farei 3 disciplinas do nível avançado e 1 de fonética do intermediário 2. O legal é que você pode trocar as disciplinas, coerentemente com o seu nível (obviamente), por exemplo, se vc acha que a disciplina tá puxada, ou prefere focar mais os estudos em compreensao oral, ou nao estiver satisfeito com o professor, horário, contéudo ou sei lá o que; é só trocar.
O curso nao é gratuito, mas como residentes permanentes pagamos como estudantes canadenses e nao como estrangeiros, que sai bem mais barato, e além disso temos direito ao prêt et bourse. Apesar de ser um curso a tempo integral só tenho aula 4 x por semana em somente 1 turno cada dia, no entanto, a quantidade de leituras e trabalhos individuais que os professores demandam consome um bom tempo da outra parte do dia. rsrsrsrs. Tem ainda, uma programaçao bem recheada de atividades extra-classe, como passeios culturais, cafés da manha, almoços e encontros para promover a integraçao. A maioria dos alunos vem da parte anglófona do Canadá, EUA entre outros lugares, só para estudar francês. Estou indo para a minha quarta semana de aula e bem satisfeita porque enfim achei um curso que corresponde ao que eu queria e ao que precisava.
Bem é isso, mais informaçoes vcs podem ver no site:
http://www.elul.ulaval.ca/sgc/FLE
O que mais tenho a dizer é que durante todas essas andanças o importante para mim foi que nao parei de estudar francês em nenhum momento....hihihihi

24 comentários:

Vanessa disse...

Meu Deusssssssss...
Ufa...
Haja estudo, né?
Super explicativo.
Parabéns.
Beijo dos amigos:

Vanessa, Saulo... e Margot - Destino Gelado.
www.vanessasaulo.blogspot.com

Ricardo disse...

Oi Gisele, excelente compilação. Acho que vc escreveu um manual básico que todo imigrante deveria saber. Se o MICC ler vai querer editar.

Valeu pela grande contribuição !

Abraço

Família Ramos disse...

Olá Gisele,

Excelente post, muito explicativo mesmo. :)
Na ULaval eles também têm o Français Langue Seconde? dei uma olhada pelo site deles mas não achei, encontrei apenas o FLE. Vc saberia o link/endereço do FLS, por favor?

Obrigado.
Alessander

Giselle e Rogério disse...

Alessander,
Na Laval tem certificado, diplôma e bacharelado de francês língua segunda e algumas variaçoes dessas tb do língua estrangeira. Na verdade o q mais muda de uma coisa para a outra é a quantidade de créditos exigidos para obter qq uma das certificaçoes acima. Inclusive vc pode começar no FLE e depois pegar umas disciplinas do FLS e no final tem alguma certificaçao dessas aí. rsrsrrs. Parece confuso, mas achei esse link aqui, vc olha lá na letra F e tem a descriçao de cada curso de língua em francês explicando melhor.

https://capsuleweb.ulaval.ca/pls/etprod7/y_bwckprog.p_afficher_index?p_type_index=2&p_valeur_index=39

Bonne Chance!

Patinha. disse...

Perfeitas explicaçoes !!
Sabe o que acho?que no fim das contas cada um tem uma opiniao de acordo com suas expectativas e do que está acostumado a ter..
Fiz um caminho meio louco no frances, e acabo agora me rendendo ao ingles,rsrs.. vivendo ,aprendendo e se surpreendendo!

Muito boa contribuiçao! Parabéns!

Bjsss

Joana disse...

Olá! Eu e meu namorado estamos fazendo nosso processo para ir ao Quebec, estamos na fase de espera (interminavel) dos pedidos de exames médicos.

Gostariamos de pedir umas dicas para vcs.

Sera que vcs poderiam me enviar um email?

joana.ns@gmail.com

Obrigada desde já!

Bjs

Joana

Juliana disse...

Olá Giselle!
Estamos aguardando somente nosso pedido de passaporte... e ao longo dessa jornada mudamos umas duas vezes de idéias sobre Montreal ou Quebec.
Perccebi pelos post que vc é muito parecida comigo e a situação de vcs era mais ou menos a mesma!
Será que vc poderia me dar uma luz na minha escolha, já que está aí e pode me esclarecer umas duvidas?
Agradeço imensamente.
Meu e-mail é juliana.longen@hotmail.com
Abraços

Giselle e Rogério disse...

Olá, meninas! Só pra avisar que respondi vcs pelo e-mail que me enviaram.
Um abraço e boa sorte!
Giselle

Karol disse...

Oi Giselle,

Excelente post! Muito esclarecedor! Eu fiquei um bom tempo pesquisando por cursos de francês em Ville de Québec (eu me mudei apenas 4 meses) e como eu trabalho o dia todo teria que ser apenas um curso a noite. Amanha eu irei fazer o teste de nível para um curso de conversação no Centre Rire.

Karol

Giselle e Rogério disse...

Olá, Carol!Pelo q li no seu blog vc engrossa o grupo de TI que saiu de Montréal pra trabalhar aqui em Ville de Québec.rsrs Legal!Seja bem vinda!
O Centre RIRE oferece curso de francês tb, mas na época nao consegui vaga lá e como nao tinha nenhuma experiencia deste curso nao pude escrever nada. Mas tudo indica que mes que vem começo a estudar lá tb, só q inglês. Se tudo der certo isso será assunto para outro post...rsrsrs
Bjs!

Karol disse...

Oi Gisele!

Eu sou sim! Ainda não é um emprego, mas eu espero que se transforme em um em breve. Eu fiz a prova hoje e tudo indica que eu conseguirei fazer o curso! Eu já ouvi falar do curso de inglês deles.

bjs!

elioma disse...

Obrigado pelas dicas exelentes,gostaria de fazer umas perguntas:
É possível conseguir trabalho sem a francisação ou sem o NAS.
Estou indo com minha esposa para Ville de Quebec em junho e ainda estou na duvida quanto o aluguel vc poderia mim dar uma dica.

Giselle e Rogério disse...

Eliomar, emprego sem francês vc consegue sim, dependendo do que deseja, agora sem o NAS aí já é outra história...
Quanto ao aluguel qual seria sua dúvida?
Bjs!

Shanna disse...

Oi Gisele, parabéns pelo blog. É a primeira vez que o leio e gostei tanto que acabei o lendo todo hoje, do pé a cabeça. Faz apenas 2 meses que eu e meu marido chegamos em Montréal, mas estamos buscando mudar de região. Estamos dependendo apenas de uma oferta de emprego. Você já está trabalhando? Vou começar a fazer a francisação e fiquei preocupada se poderia trabalhar sem perder a bolsa. As vezes surge algum bico, mas como eles sempre pedem o NAS, fiquei preocupada se isso me faria perder a bolsa de francisação. O que você acha? Tem alguma influência? Relmente não tem problema trabalhar?

Parabéns novamente e valeu a contribuição que tem nos dado!

Abraços,

Giselle disse...

Oi, Shanna! Seja bem vinda.
Olha, eu atualmente trabalho sim como intervenante social, mas nao estudo mais francÊs.
Meu marido ainda faz a francisaçao e sempre trabalhou (legalmente, informando o NAS). Nao tem pb nenhum desde que seja a francisaçao do MICC e que vc frequente às aulas. Trabalhando no comércio possibilita mais isso. Ele faz a francisaçao de 8:30 às 15hs e depois vai direto para o restaurante onde trabalha até às 21/22hs. Te garanto q nao tem nenhuma influência com o corte de bolsa. O corte de bolsa ou a sua reduçao ocorre quando vc trabalha e faz algum curso na universidade ou cégep recebendo o prêt et bourse, aí sim é outra história e por isso muitos optam em só estudar, como eu fiz quando fazia o curso de FLE da Universidade.

Um abraço e boa sorte!

Shanna disse...

Oi Gisele, tudo bom? Muitíssimo obrigada pela ajuda, estou muito mais aliviada agora. Suas informações foram extremamente úteis para mim, inclusive, comentei com meu marido que você trabalha como intervenant social. Isto porque ele é psicólogo e como só pode exercer a profissão se fizer parte da ordem, ele está buscando atuar como intervenant também. Até nos cadastramos na Soiit, que é um centro ai de Ville du Quebec que ajuda as pessoas que querem morar ai a encontrar emprego. O problema é que a maioria das vagas ficam escondidas e não são anunciadas. Desculpe até minha ousadia, mais vou deixar meu email aqui(sbmfranco@yahoo.com.br), pois caso saiba de alguma oferta, será muito bem vinda. Eu não estou procurando emprego agora, pois preciso aperfeiçoar o idioma, mas meu marido já fala bem o francês e o inglês. Sei que devo estar te assustando, mais sabemos como é importante um mãozinha por aqui, e se for dos conterrâneos então, melhor ainda. De qualquer modo, valeu novamente a ajuda e espero ainda poder conhecê-los ai em Ville du Québec.

Muito obrigada!

Abraços,

M. Araújo disse...

Esse blog é uma LUZ!

Vitor Werner disse...

Eu e minha namorada queremos ir para o Qupebec para estudarmos francês por um tempo. Fiquei sabendo de cursos promovidos para estrangeiros pelo governo, mas não achei nada ainda! Lendo o seu Blog fiquei na dúvida se esses cursos que você descreveu são oferecidos somente para imigrantes ou para estrangeiros também.
Se você puder trocar essas informações comigo eu agradeço.
Se possível enviar as informações para: vitorepatinocanada@gmail.com

Obrigado,
Vitor

Giselle disse...

Oi, Vitor!
Os cursos subsidiados pelo Ministério de Imigraçao, como o FEL (online) e Francisaçao do MICC à tempo integral, sao oferecidos somente aos imigrantes. No entanto, acho que no CAFI e no Mieux Être é possivell fazer os cursos sem ser imigrante, tem que conversar com as pessoas responsáveis para negociar isso, eu conheci pessoas q nao sao imigrantes e conseguiram entrar nestes dois cursos, mas sao casos atípicos. Quanto aos cursos da comissao escolar (Centre du Phenix) e da universidade (FLE) eles aceitam todos os tipos de estudantes, québecois/residentes permanentes do québec, canadenses (de outras provincias do Québec) ou estudantes estrangeiros (q deve ser o caso de vcs q vem de outros países só para estudar). No entanto, o valor dos cursos varia bem $$ dependendo do seu status aqui no Québec. No centre du Phénix eles cobram por hora de aula para estrangeiros, na universidade vc pode conferir a tabela de preços pelo site q esta sempre em atualizaçao.

Estes sao os cursos q posso falar, os outros nao sei.

Green disse...

Amei o post,
muito obrigada!!!!

Nanda e Junior disse...

Ola...estou me mudando de Montreal p Ville com meu esposo..Pesquisei sobre os cursos na universidade tb e fiquei na duvida se o FLE pode ser pago e receber a bolsa pelo pret et bourse...
Teria como eu te add no face ou outro meio p vc me dizer como funcionou tudo p vc?


Muito obrigada por compratilhar aqui.

Abc,
Nanda

Green disse...

Oi devo estar me mundando prá Québec em fevereiro ou março, e já pretendo começar a estudar francÊs no Centre du Phénix, você pode me dizer, caso você lembre, qual o livro que você usou lá, porquê eu tenho alguns aqui no Brasil, ai já ajudaria a economizar.
bjs

Giselle disse...

Oi, Green! No Centre du Phénix isso depende muito do professor ou da turma que vc vai estudar. Tem professores que fornecem um material proprio através de folhas, ou solicitam a compra de apostilas do proprio curso. Porém, eu cheguei a utilizar tb o livro
"Grammaire progressive de français" aquele da capa azul, editora CLE Internacional.

Bonne chance!

Anônimo disse...

Ótimo post, estou em Mtl há 4 meses e é difícil arrumar emprego em TI sem ser bilingue, então estou vendo oportunidades em Québec, inclusive tem um centro de ajuda que promove (chamam de regionalização), e aí tem muita vaga pra TI que pedem só Frances, como tá o mercado? é possível alugar um quarto ou studio na faixa dos $600? meu email é leopaes33@hotmail.com, ATT.

Leonardo Paes